Pular para o conteúdo principal

Regar as plantas é um dos principais desafios no cuidado com as verdinhas em casa. Entenda como acertar nessa importante tarefa e conheça as formas de irrigação disponíveis

Adyay TnM7lQlsqrGOT54p3paJuP j8yF34LOxdO0aWAvxmCWP7W7q79L0KcpZ9sQNX9 pFnJ VjAH HhExRF1L5JZQO2fv2nOdRNJ5FbQaXdO01VHf HuY05G41Ndp WRSMB0A

À primeira vista, a tarefa parece ser das mais simples, mas a verdade é que para regar as plantas com eficiência é preciso lançar mão de pequenos truques e macetes. Afinal de contas, alguns dos principais motivos que levam à perda de uma planta estão relacionados, justamente, à falta ou excesso de água. Encontrar esse equilíbrio é fundamental para o sucesso do cultivo.

Importância da água para as plantas

Essencial para a sobrevivência de qualquer ser vivo, o líquido auxilia no processo de fotossíntese e na absorção dos nutrientes presentes na terra – essas substâncias “entram” pelas raízes e, depois, são distribuídas para o restante da planta, garantindo um crescimento forte e saudável.

Quando os vegetais enfrentam falta de água, eles fecham os poros de suas folhas para não perder umidade e ficam com aquele aspecto murcho. Já o excesso acaba retirando todo o ar do solo. Com isso, as raízes não conseguem respirar e acabam “afogadas”. Sem falar que o ambiente altamente úmido contribui para o aparecimento de diversos fungos que podem apodrecer a planta.

Quantas vezes por semana devo regar minhas plantas?

Talvez você se decepcione com a informação, mas não existe uma resposta para essa pergunta. Isso porque ela dependerá de uma série de fatores que atuam em sinergia. Entre eles estão as características de cada planta, a região onde você mora e as condições de temperatura e umidade do período.

A dinâmica de rega de um cacto, por exemplo, que é originário de áreas mais áridas e secas, será completamente diferente de um filodendro nativo de uma floresta tropical, onde as chuvas são muito mais frequentes. Além disso, uma pessoa no norte do país conduzirá uma rotina de irrigação diversa de quem está no sul, com temperaturas mais amenas.

Por isso, liberte-se de regras numéricas e aprenda a observar suas plantas. Esse é o pulo do gato! Atente-se ao viço das folhagens e sempre confira a umidade do substrato, pois quando ele estiver seco (com aspecto soltinho e não compactado), eis o principal indicativo de que é hora de realizar uma nova rega.

Qual o melhor horário para molhar as plantas?

Os períodos mais indicados são aqueles em que o sol não está tão forte, geralmente nas primeiras horas da manhã ou ao final da tarde. Fazer a irrigação na parte mais quente do dia é arriscado, pois a água tende a evaporar muito rápido.

Outro horário a ser evitado é à noite. Isso porque a água pode ficar acumulada e o ambiente, mais propício ao surgimento de fungos e outras pragas.

Como regar corretamente?

Primeiro de tudo, invista em um regador. Não é frescura, não! Para que a planta cresça bem cheia e exuberante, concentre-se na base da planta, molhando todo o substrato de maneira uniforme. Quando você rega apenas um lado do vaso (o que acontece quando você utiliza um acessório inadequado, por exemplo), as raízes acabam crescendo apenas na direção da água e o crescimento fica desigual. 

Seja generoso na quantidade de água e faça a irrigação lentamente. O indicado é realizar pausas quando o líquido começar a empoçar. Depois de absorvido, recomece o processo. Quando a água vazar no pratinho é hora de finalizar. Entretanto, não se esqueça de descartar esse excesso para que a raiz da planta não fique encharcada.

E atenção: mesmo nos dias mais quentes, não se entregue à tentação de regar suas verdinhas com água gelada. Para evitar choques térmicos, a temperatura ambiente é sempre a ideal.

Sistemas autoirrigáveis

Trata-se de uma alternativa superbacana para quem está pegando experiência nas rotinas de jardinagem ou possui um dia a dia muito corrido, com escassez de tempo para se dedicar plenamente à atividade. 

Para facilitar a experiência de cultivo em casa, a Yes We Grow possui vasos autoirrigáveis que ficam até dez dias sem rega graças a um reservatório de 600 ml, acoplado na parte inferior do vaso, que controla a umidade e fornece a quantidade ideal de água para o substrato. Feito em alumínio com pintura eletrostática, é leve, não enferruja e não atrai mosquitos.

vaso verde 3 copiar

Já quem produz hortaliças em casa, deve ter percebido o quanto elas são exigentes no quesito umidade. Algumas espécies possuem até 98% de água em sua composição e encontrar o equilíbrio perfeito é essencial para garantir o melhor sabor e aporte nutricional do vegetal.

Nesses casos, a indicação é a Horta Inteligente Yes We Grow, a solução mais prática e eficiente para quem quer produzir o seu próprio alimento em casa. Seu sistema autoirrigável tem autonomia de até 25 dias para você não precisar se preocupar com as regas, além de sistema automático de iluminação para que as plantas recebam a quantidade ideal de luminosidade. Basta acrescentar dois litros de água filtrada no local indicado e pronto!

kit luminaria copiar

5 dicas extras para turbinar a irrigação das plantas

1. Evite molhar as folhas. Naqueles dias mais quentes, em que elas merecem um refresco, lance mão do borrifador. O acessório também é indicado para a aplicação de tratamentos ou defensivos.

2. Procure sempre utilizar vasos com sistema de drenagem (com furos no fundo). No caso dos cachepôs, não se esqueça de escoar o excesso de água algumas horas após a rega.

3. Depois de realizar a semeadura ou o transplante de vaso, a irrigação é essencial. Capriche na quantidade, sem medo!

4. Árvores frutíferas, como as jabuticabeiras, demandam muita hidratação. Não economize na rega.

5. Diferentemente do restante das plantas, a melhor maneira de regar uma bromélia é molhando suas folhas. Fique de olho no “copinho” central. Quando ele estiver vazio, é hora de encher – e não se preocupe, isso não atrai o mosquito da dengue.

Aproveite todo o site em até 10 vezes sem juros e frete grátis em compras acima de R$ 249,00

Deixe uma Resposta